segunda-feira, 19 de abril de 2010

Escolas cortam frituras e ampliam oferta de alimentos saudáveis nas cantinas.

Alunas da 2ª série do ensino fundamental do Colégio Augusto Laranja, as amigas Letícia Presti, de 8 anos, Lívia Machado, de 8, e Natalie Colombo, de 7, adoram a combinação pizza, batata frita e Coca-Cola para matar a fome na hora do recreio. No que depender da escola, porém, as guloseimas ultracalóricas ficarão para outro horário. Lá, a ordem é destacar alimentos saudáveis, como frutas, no balcão da cantina. Batatinhas e nuggets de frango ficam mais ao fundo, bem longe dos olhinhos gulosos das crianças. Adaptadas aos novos tempos, as meninas já nem se queixam tanto do novo cardápio. “A baguete recheada com alface e peito de peru é ótima”, diz Letícia. “Tudo bem tomar refrigerante só de vez em quando. Na minha casa já é assim”, concorda Natalie. “Adoro manga”, afirma Lívia. O Augusto Laranja não está sozinho. Em várias escolas paulistanas, vigora uma campanha contra doces, frituras e salgadinhos industrializados. Os diretores não estão preocupados à toa. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 22% dos moradores da Região Sudeste entre 10 e 19 anos têm excesso de peso (contra 16,7% da média nacional). 


******************************************

Amei esta matéria, precisamos ensinar nossos pequenos a se alimentarem melhor.
E pode ser um grande incentivo para mobilizarmos as escolas de nossos filhos.
Que acham disso? É necessário aprender e EXERCITAR...boa sorte.
Beijinhos

Nenhum comentário: